Quais foram as contribuições dos negros na construção de nosso país?

    0

20 de novembro - Dia da Consciência Negra

Quais foram as contribuições dos negros na construção de nosso país?

Você poderá responder que contribuíram servindo de mão de obra no período colonial, desenvolvendo a Agricultura e a Pecuária brasileiras. Mas não foi só isso!


A seguir, você conhecerá alguns brasileiros negros cuja contribuição foi notória para o Brasil em ramos como o jornalismo, a literatura, a medicina, psiquiatria, engenharia etc.

Você conhece alguma das personalidades a seguir? Sabe o que fizeram pelo Brasil?

>>> Zumbi dos Palmares

Zumbi dos Palmares nasceu em 1655. Apesar de ter nascido livre, foi capturado e escravizado a partir dos sete anos e foi batizado na Igreja Católica, recebendo o nome de Francisco. Tornou-se líder do Quilombo dos Palmares, uma comunidade livre de escravos fugitivos, e por ser considerado um símbolo da luta contra a escravidão, a liberdade de culto religioso e pela prática da cultura africana o dia de sua morte, 20 de novembro, é comemorado como o Dia da Consciência Negra.

>>> Eugênia Anna Santos (Mãe Aninha)

Filha de africanos, Mãe Aninha nasceu em Salvador. Foi instruída no primeiro candomblé a funcionar regularmente na Bahia, mas saiu de lá para formar uma nova casa, que hoje é Patrimônio Histórico Nacional. Por intermédio de seu filho de santo, o ministro Osvaldo Aranha, provocou a promulgação do Decreto Presidencial que pôs fim à proibição aos cultos afro-brasileiros em 1934.

>>> João Cândido Felisberto (O Almirante Negro)

Nasceu em 1880 no Rio Grande do Sul. Aos 14 anos ingressou na Marinha do Brasil, onde presenciou penalidades e chibatadas sobre seus companheiros. Os constantes maus-tratos vistos e vividos levou-o a liderar uma revolta contra seu comandante em 1910. Razão pela qual foi expulso da corporação. Além disso, liderou a revolta da chibata, reivindicando o fim da chibata, dos maus-tratos psicológicos e das punições corporais, aumento de salário, a redução da jornada de trabalho e a anistia dos revoltosos.

>>> Ernesto Carneiro Ribeiro

Médico e literato, Ernesto nasceu em Itaparica, Estado da Bahia. Foi pioneiro ao produzir uma gramática baseada na língua portuguesa. Publicou A redação do projeto do código civil (1902) e A réplica do Dr. Rui Barbosa (1905). Quando recém-proclamada a República, participou de uma comissão formada pelo governador Manuel Vitorino, para elaborar um plano de ação educacional.Faleceu em sua terra natal, em 1920, aos 81 anos.

>>> Afonso Henriques de Lima Barreto (Lima Barreto)

Filho de escravos, Lima Barreto teve boa instrução escolar e tornou-se um grande jornalista. Considerado um dos maiores críticos contra o regime republicano, simpático ao anarquismo, militou na imprensa socialista. Seus livros contêm traços autobiográficos, teve onze livros publicados, dos quais seu primeiro romance foi Recordações do escrivão Isaías Caminha e sua principal obra foi Triste fim de Policarpo Quaresma.

>>> Luiz Gama

Filho de fidalgo português com uma africana, nasceu livre em Salvador, mas, aos 10 anos, foi vendido como escravo pelo pai e depois foi vendido novamente no Rio de Janeiro. Um de seus senhores o ensinou a ler e escrever, o que permitiu que frequentasse o curso de Direito, que não conseguiu completar. Tornou-se jornalista renomado ligado aos círculos do Partido Liberal e sua liderança deu origem ao movimento abolicionista, sendo responsável pela libertação de mais de mil cativos, exclusivamente com o uso da lei.

>>> Juliano Moreira

Juliano Moreira nasceu em Salvador, onde cursou a Faculdade de Medicina do Estado em 1886. Foi um dos pioneiros na psiquiatria brasileira e primeiro professor universitário a utilizar a teoria psicanalítica em suas aulas. Humanizou o tratamento e acabou com a clausura dos pacientes e buscava a reformulação da assistência psiquiátrica pública. Incentivou a promulgação da primeira lei federal de assistência aos alienados.

Como você pôde ver, muitos afro-brasileiros tiveram papel importante no desenvolvimento do Brasil. Devemos reconhecer e divulgar seus feitos, numa tentativa de dignificar a imagem do negro, tão estigmatizada até hoje, para incentivar que haja mais pessoas, brancas, indígenas, orientais ou negras contribuindo para que a sociedade brasileira seja mais justa, humanitária e defensora do respeito e da tolerância.

Quais outras personalidades afrodescendentes que você conhece foram importantes para a história do Brasil?

Fonte: Estudos das Relações Étnico-Raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, da UNINTER.

Powered by Blogger .